Sobe nós

Uma Missão da Igreja Católica, atendida pelos Missionários de São Carlos - Scalabrinianos

A Missão Pompéia é constituída pela Paróquia Pessoal para os Migrantes Nossa Senhora do Rosário de Pompéia e pelo Centro Ítalo-Brasileiro de Assistência e Instruções as Migrações – Cibai Migrações.

A Paróquia atende a dimensão espiritual, litúrgica, sacramental e pastoral das pessoas que frequentam a Igreja. Celebra-se Missa em Português, Italiano, Espanhol, Creole e Coreano.

ACOLHER

PROTEGER

PROMOVER

INTEGRAR E CELEBRAR

Fazendo a coisa certa, no tempo certo.

+

+19000

ATENDIMENTOS

+

+20500

REFEIÇÕES

+

+19

FEIRAS

+

+42

NACIONALIDADES

Quem Somos?

É uma Missão da Igreja Católica, atendida pelos Missionários de São Carlos – Scalabrinianos que servem os migrantes desde 1939 em Porto Alegre, que tem como lema Acolher, Proteger, Promover, Integrar e Celebrar com os Migrantes. Na década de 1950 foi adquirido o atual terreno na rua Dr. Barros Cassal, 220 em  Porto Alegre – RS, onde foi instalado o CIBAI Migrações (1958) e a Paróquia Nossa Senhora do Rosário de Pompéia (1959).

 

Como é Constituída?

A Missão Pompéia é constituída pela Paróquia Pessoal para os Migrantes Nossa Senhora do Rosário de Pompéia e pelo Centro Ítalo-Brasileiro de Assistência e Instruções as Migrações – Cibai Migrações.

 

Nossos Serviços

A Paróquia atende a dimensão espiritual, litúrgica, sacramental e pastoral das pessoas que frequentam a Igreja. Celebra-se Missa em Português, Italiano, Espanhol, Creole e Coreano. Celebração de festas católicas de outros países e culturas.

 

CIBAI Migrações, caracterizando-se como uma entidade de Defesa e Garantia de Direitos, conforme previsto na Resolução do CNAS N° 27 de 29/11/2011, no âmbito da Política Nacional de Assistência Social.

Desde a década de 50, o CIBAI Migrações atende toda pessoa e/ou grupo social em deslocamento migratório em situação de vulnerabilidade social[1], sendo que o primeiro fluxo migratório era, em sua maioria, formada por migrantes europeus, especialmente italianos, solicitantes de refúgio e deslocados da Guerra Mundial.

A partir de 1970, passou a acolher e integrar o segundo fluxo migratório de países latinos caribenhos e hispano-americanos, fruto da instabilidade dos regimes ditatoriais e do sistema político e econômico.  Neste milênio, a atuação passou a acolher o terceiro fluxo migratório global denominado “novos rostos”, causado por problemas econômicos, ambientais e de conflitos bélicos. São, portanto, mais de seis décadas que abrangeram 272.569 migrantes acolhidos e atendidos.

Considerando as características do CIBAI, como entidade de Defesa de Direitos, na metodologia são adotados os seguintes procedimentos: acolhida, escuta, atendimento individual e coletivo, encaminhamento para serviços socioassistenciais da rede publica e /ou privada, cursos e oficinas, bem como realiza processos de avaliação durante o ano. O conjunto dos procedimentos objetivam o Acesso do Migrantes aos direitos civis e sociais brasileiros se materializam nas seguintes atividades:

  • Acolhimento e escuta aos migrantes;
  • Orientação e ajuda para documentação e encaminhamento dos migrantes para os órgãos competentes;
  • Elaboração de currículos e encaminhamento para o mercado de trabalho;
  • Disponibilização de assistência jurídica e psicológica;
  • Oferta de capacitação profissional através de cursos, oficinas e palestras;
  • Concessão de auxílio eventual de alimentos e vestuário;
  • Acompanhamento de famílias através de visitas domiciliares;
  • Visitação à migrantes privados de liberdade e hospitalizados;
  • Orientação sobre o Trabalho Escravo e o Tráfico de Pessoas;
  • Preparação e distribuição de refeições semanais para as pessoas em situação de rua; pela equipe de voluntários Mãos à Obra.
  • Orientação e encaminhamento para o acesso a direitos sociais das diferentes políticas sociais setoriais, (benefícios sociais, programas socioeducativos, educação formal, cursos profissionalizantes);
  • Encaminhamento para realização de documentos junto a Universidades, Consulados, Polícia Federal, Ministério de Justiça, Ministério do Trabalho e outras instituições públicas;
  • Cursos de capacitação laboral;
  • Concessão de alimentação, leite, fraldas, vestuários, cobertores e kits para bebês;

 

O CIBAI Migrações também é protagonista nas ações de:

  • Pesquisas sobre o Fenômeno Migratório com socialização dos resultados;
  • Diálogos com organizações representativas da sociedade civil e governamentais sobre diferentes demandas de pessoas em situação de vulnerabilidade e risco;
  • Identificação de Políticas Públicas em prol dos migrantes;
  • Articulação com os serviços em redes, envolvendo saúde, educação, trabalho e assistência social, tanto da iniciativa privada quanto governamental.

[1] Migrantes: imigrantes, emigrantes, solicitantes de refúgio, apátridas, desalojados, vítimas de tráfico de pessoas, estudantes internacionais, migrantes internos e pessoas em situação de rua.

Fila Migrantes
Fila Migrantes

Migrantes na plaza
Migrantes na plaza

Migrantes cruzando Rio
Migrantes cruzando Rio

O LEGADO DE BEATO JOÃO BATISTA SCALABRINI

 

Nascido em Fino Mornasco, na província de Como (Itália), em 1839, foi ordenado sacerdote em 30 de maio de 1863. Foi professor no Seminário de Como até 1870, quando virou vigário da paróquia de São Bartolomeu na cidade de Como. Recebeu a ordenação episcopal pelo beato papa Pio IX em 30 de janeiro de 1876 e foi enviado para a Diocese de Piacenza-Bobbio.  Em 1886 Sclabrini fundou o Instituto São Rafael, que deu origem ao Movimento Leigo Scalabriniano. Em 1887, fundou a Congregação dos Missionários de São Carlos, ou Scalabrinianos, para cuidar dos migrantes italianos e, em 1895, nasceram as Missionárias de São Carlos. Em 1901, visitou os emigrantes italianos nos Estados Unidos e, em 1904, no Brasil. D. João Scalabrini morreu no dia 1º de junho de 1905, com 61 anos de idade, em Placência (Itália). No dia 9 de novembro de 1997, D. João Scalabrini foi beatificado pelo Papa João Paulo II.

Foi um homem que profetizou que a migração não é um fenômeno esporádico, mas parte da história e da vida do ser humano.

“Não posso chamar Deus de Pai se o migrante não é meu irmão” (Scalabrini)

O Milagre dos Migrantes

Os migrantes saem do seu país de origem e mostram ao mundo os caminhos da fraternidade universal. Eles tem medo como qualquer ser humano, mas o medo não os domina e nem os governa, saem de sua terra para buscar melhores condições de vida para si e para os seus familiares. Eles desafiam aos acomodados a deixar seus medos e abrir-se à vida.

“O migrante nos pode paralisar e fechar-nos para o diferente ou nos pode desafiar à abrir-nos para acolher a vida do diferente e fazer-nos vencedores” (ALH)

O Milagre dos Colaboradores e Doadores

O Apoio e a compreensão de toda a comunidade, colaboradores e doadores com a Missão Pompéia CIBAI Migrações fez possível 3.753 ajudas à pessoas migrantes de solicitantes de refúgio recém chegados ao país e em situação de vulnerabilidade. Eles receberam um auxilio eventual de alimentação, leite, fraldas, vestuários, cobertores e kits para bebês.

“O migrante nos pode paralisar e fechar-nos para o diferente ou nos pode desafiar à abrir-nos para acolher a vida do diferente e fazer-nos vencedores” (ALH)

Nosso Milagre é seu Milagre

Durante o Ano de 2019, com a luz, o amor, a solidariedade e o afeto de cada um de vocês da comunidade, pessoas amigas, voluntários, colaboradores e migrantes, conseguimos dar um pouco de esperança e conforto a muitos irmãos e irmãs migrantes em situação de vulnerabilidade. “Quem não vive para servir, não serve para viver” (Mahatma Gandhi).

Por isso com muito carinho e gratidão, agradecemos a cada pessoa em particular por servir nas ações de acolhida, proteção, promoção, integração e celebração juntos aos migrantes ajudando a dar um sentido à vida com esperança de um novo recomeço em um país diferente o de nascimento.

Previous Next
Close
Test Caption
Test Description goes like this