Mãos Pompeianas

Mãos Pompeianas

O grupo Mãos Pompeianas iniciou no dia 10 de maio de 2006 por iniciativa do então pároco, Pe. João Corso, com o objetivo de gerar renda para a Paróquia, ajudando na acolhida dos migrantes.

Nos encontros semanais do grupo é produzido artesanato para ser vendido nas festas tradicionais da Paróquia: “Té de las Madre”, Festa da Padroeira, Festa da Integração, e em bazares. O grupo também foi convidado para comercializar seus produtos no Primeiro Fórum da Igreja Católica, em 2007, na Festa das Etnias da Vila Nova, em 2008, e nos 100 anos da Arquidiocese de Porto Alegre, em 2010.

Em 2010, através do Pe. Joaquim Filippin, o grupo foi convidado para um seminário no Colégio Sevigné, onde conheceu a AVESOL – Associação Voluntariado e Solidariedade-  que apoia Artesãos e Catadores organizados em cooperativas. Nas reuniões da AVESOL são tratados assuntos sobre a economia solidária, a sustentabilidade, o consumo consciente e a ecologia. Também são abordados temas cristãos por ser uma Associação Marista. A participação do grupo Mãos Pompeianas na AVESOL possibilitou na comercialização do se seu artesanato nas “Feiras da Cidadania” que acontecem em espaços oferecidos por Escolas Maristas duas vezes ao ano, durante três meses para cada feira, que é para alunos, pais, professores e funcionários; e também na Feira Internacional de Economia Solidária que acontece em Santa Maria há mais de quinze anos.

Em 2012 o grupo for convidado para a “Festa na Rua” João Telles, no Bairro Bom Fim em Porto Alegre que acontece anualmente no último domingo de maio em comemoração Independência de Israel.

Além de produzir artesanato, Mãos Pompeianas também elabora os arranjos das mesas das Festas da Integração e da Padroeira observando os princípios do grupo que são: sustentabilidade, respeito a natureza e ao ser humano, e aproveitando materiais que seriam descartados irresponsavelmente. Além disso cultiva os valores cristãos: desprendimento, compromisso, honestidade, disponibilidade e voluntariado (serviço), e amor ao próximo.

Atualmente são quatro as integrantes, duas migrantes: Dike Kansao, libanesa; Estela Espinoza Peres, boliviana; e duas brasileiras: Olga Bueno e Teresinha Vasquez. Algumas vezes recebe ajuda de Ilsa Heck. Como o objetivo do grupo é ajudar os migrantes, o artesanato produzido é vendido pelas integrantes migrantes e revertido para elas, o restante é revertido totalmente para a Paróquia. Muitas as voluntárias passaram pelo grupo, ensinando, produzindo ou simplesmente ajudando. São elas: Fernanda, Luiza, Eloisa, Caster, Ivete, Cléia, Dorildes, Sonia, Maria do Horto, Namá, Heloisa, Fátima, Gabriela, Ivone, Maria Cecília, Glaci, Ruth, Janice, Norma, Erena, Adriana, Miriam, Ilda, Cristina, Olinda, Iara e Hilda; as chilenas: Cristina e Catarina; a panamenha: Vilma; as peruanas: Elvira e Rosana; as portuguesas: Maria Manuela e Adriana; as uruguaias: Maria Cristina, Diamela, Eunice e Ana Maria. A todas as citadas e muitas outras que ajudaram e serviram, nossa gratidão.

Que Deus e Nossa senhora do Rosário de Pompéia as recompense com muitas graças.

A todas o agradecimento de coração por fazer parte do grupo e da Missão Pompéia.

Se você tem gosto pela arte, venha e faça parte das Mãos Pompeianas da Missão Pompéia.

Deus é bom todo o tempo!

O grupo de voluntarias de mulheres migrantes que se reúnem na Missão Pompéia e confeccionam artesanatos e outros artigos para vender em feiras para ajudar no sustento de sua famílias. Em 2019 participaram de 19 feiras na Região Metropolitana de Porto Alegre.

 

Teresinha Vasquez

Pe. Anderson Hamme

Previous Next
Close
Test Caption
Test Description goes like this